Ikeel

Lembro-me dele mascarado, como se fosse um carnaval antecipado, com uns enormes óculos, cabeleira mais que loira a adornar aquele rosto muito, muito moreno. Fazia parte de uma claque que apoiava os Food & Beverages contra os House Keepers, gritava, pulava e aquele empenho foi certamente decisivo para a vitória da sua equipa, isto porque os homens não se medem aos palmos...

 

Sorria sempre, sorri ainda, estou certa. Tentava perceber o nosso inglês, pausadamente, e ao mesmo tempo viamos aqueles olhos sorrir com as imagens das nossas palavras, tentando perceber o que tínhamos feito durante o dia e o que mais tínhamos gostado. Nunca percebi do que ele mais gostava.

 

Se tivesse havido oportunidade Ikeel teria contado porque foi para a sua ilha, mais cedo do que o previsto, e porque não parecia estar contente com a viagem que apenas duraria cinco horas e meia, num barco veloz, ao contrário dos dois dias e meio que habitualmente durava nos outros barcos que todos tomavam.

 

Há rostos e silêncios que nos ficam na memória.

publicado por imprevistoseacasos às 11:37 | comentar | favorito