Desta vez ...

 

Preparara as coisas, as suas obrigações estavam terminadas mais cedo do que o habitual. Estava contente. Ele tinha saído com o lixo que ambos acumulavam todos os dias. Assim que se levantava, ia pesar o saco do lixo e tecia considerações sobre a má gestão das coisas comuns, falava do tempo e exigia o pequeno-almoço pronto quando voltasse com o pão fresco da mercearia. Hoje em dia ela já não corria, pressionada pelo azedume dele. Não, fazia-se difícil e teimava em atrasar aquele ritual de há mais de trinta anos.

Hoje, tinha-se antecipado. Uns familiares tinham-lhe prometido uma boleia para Algarve. Herdara uma casa de família e o marido recusava-se quase todos os anos a ir lá, alegando o alto custo da viagem.

Não. Desta vez dissera não baixinho e preparara-se para as agressões diárias. Ele não lhe batia, apenas gritava e chamava-lhe nomes. Não. Tinha preparado tudo e ela iria sair dali um pouco, ele poderia acompanhá-la, ou então poderia preferir ter menos lixo e o café por fazer todos os dias. Mas chamaria estúpida a quem?

publicado por imprevistoseacasos às 12:25 | comentar | favorito