Novas necessidades para um velho Alentejo

 

 

Cerca de 30 mil imigrantes são esperados no Baixo Alentejo para suprir as carências de mão-de-obra indiferenciada que os grandes projectos programados para a região (aeroporto, regadio de Alqueva e amplicação do complexo de Sines) vão necessitar a curto prazo, aponta como principal conclusão a conferência Imigração no Baixo Alentejo, realizada em Beja.
A necessidade de mão-de-obra imigrante numa região onde persiste uma elevada taxa desemprego pode parecer um paradoxo. Dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional relativos a 2008 revelam que o número de desempregados na região do Alentejo é de 18.600, parte significativa dos quais é feminina, "não-qualificada" e está condicionada por uma "elevada taxa etária". 

Público

publicado por imprevistoseacasos às 15:30 | comentar | favorito
tags: