Excertos IV

 

"Agora, sentado à mesa, no seu lugar preferido, virado para a janela, sentia o jornal, que não leria, ao lado da minha mão direita e ouvia o barulho dos copos e pratos, ao longe. Percebia como era fácil fugirmos, por breves instantes, de tudo quanto nos rodeia. Recordava-me que aquela posição permitia-lhe ausentar-se e planar para longe de nós. Ninguém o interrompia quando o olhar se tornava mais azul. Inicialmente, quando o observava, assim distante, apetecia-me irromper num pranto. Quantas vezes me tinha invadido uma raiva profunda, por o ver ausente? Depois, com o passar do tempo, passei a conviver pacificamente com estes momentos. Na verdade sempre fora assim. Apenas eu continuava iludido, na esperança que a idade o aproximasse de mim."
FC

 

publicado por imprevistoseacasos às 13:16 | comentar | favorito
tags: