O lenço

 

Ofereceu-me o lenço e deu-me um abraço. Disse-me que agora a tarefa estava nas minhas mãos, com as suas coladas, como se secretamente orasse. Estremeci de dúvida: enquanto me desejava felicidades, senti o aperto da incerteza e o amargo do desconforto, tendo o lenço como prova  do mistério que ronda os nossos dias.

publicado por imprevistoseacasos às 18:34 | comentar | favorito