Ainda os filmes

 

Este filme conseguiu emocionar-me do início ao fim. Longe das fitas de verão tão pouco estimulantes, o Baile de Outono, da Estónia, com um realizador que não conheço e com actores com nomes impronunciáveis, andou mais de duas horas no fio da navalha. Intenso, frio por vezes, desesperantemente próximo, tudo se mistura duma estética única, datada, mas que simplesmente me encanta. Vale a pena, mesmo.

 

 

 

publicado por imprevistoseacasos às 12:34 | comentar | favorito