Os domingos no Alentejo

 

 

Devagar, acordamos os sentidos com  o trinar dos grilos e dos pássaros misturado com o som dos escapes dos carros. Preguiça em agitar o dia. Voltamo-nos para o outro lado, sentimos o cheiro a café e, ao longe, o som algo roufenho do rádio. Água, chuveiro, saltos na madeira. Telefone, e o barulho de panelas. É domingo, almoço em família, casa colorida com os sons dos nossos e com os odores da região. Na doce mistura dos coentros com os alhos, dos queijos no pão, dos enchidos, do vinho, erguemo-nos na expectativa de que o dia sempre comprido, lento, dengoso, nos preencha com o vagar alentejano.

 

publicado por imprevistoseacasos às 10:32 | favorito